Desencaixotando Rita

Desencaixotando Rita

terça-feira, 10 de maio de 2011

.....inversossimilhança.....

esta noite sonhei com a serpente dourada
que abocanha a própria cauda

no estreito estreitinho
umbigo do sonho, estanco um grito

constato
com os olhos debruçados para dentro
o fiapo devastado de linguagem

que se inclina sobre si mesmo


a única verdade revelada
[não há verdade, Rita]
é a não-dita


o atributo de tudo quanto é verde, verde

em espiral infinita

2 comentários:

  1. rita,
    nenhum homem é a verdade, quanto mais toda a verdade? dita ou não dita, ela é apenas a boca de dentes amarelos procurando a cauda que deseja morder.
    um abraço!

    ResponderExcluir
  2. como gosto disso e de suas palavras.

    ótimo!

    ResponderExcluir

Comentam por aí...