Desencaixotando Rita

Desencaixotando Rita

quinta-feira, 2 de julho de 2015

"evil twin"

para a tua lua em gêmeos





me assusta a capacidade não domesticada
que tens de acender outros olhos; a parte
escura da tua língua estala ao meu lado
e o corpo relembra dolorido
a forma dos teus cascos
no dorso encoberto dos novilhos.
esse núcleo duro que te consiste
me aliena em diferentes criaturinhas afônicas
e eu cato tuas guimbas para que não sofras
represálias e não te possuo, não te possuo
nem um pouco, sequer conheço a origem 
do súbito suor nas tuas têmporas e os gestos
agudamente cirúrgicos - o aguilhão no teu discurso
apontando para mim.
como computar o que se subtrai? - sem que 
o apagamento encubra os olhos, a brasa docilizada
cessa e não te possuo, não te possuo sequer 
na memória dos dedos que seguram molhados
o copo de vodca no início dos tempos e o cigarro
que não se fuma nunca: esses pulmões que mal
se abriram gelados para o primeiro fôlego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentam por aí...