Desencaixotando Rita

Desencaixotando Rita

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

ás de copas invertido

         abre-se
no maço de cartas
um destino
   em copas floridas

um império de coisas
   que 
         sangram

e substâncias 
           oblíquas

essa vontade de mergulhar
irremediavelmente
                          no outro

sem tomar fôlego, 
                           pé
um distanciamento da
                  superfície

um desatino
me aguarda
enquanto lambo
   dedos
de            fogo
até que adentrem
              a garganta
              e o peito 
                   desguarnecido 

a natureza do beijo
         me esgota
novamente

             em puros lírios

sofro sangro
  os dias
para que eu
 nunca
      esqueça

para que tu não te esqueças
dos trilhos, para que aceites
o destino    que      esquadrinho
            sem           
                    pestanejar








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentam por aí...