Desencaixotando Rita

Desencaixotando Rita

sexta-feira, 23 de maio de 2014

"autogeografia infame"

há que se pagar um preço
pela tentativa risível
de erigir uma pessoa
sobre uma falha sísmica.

estátuas de sal
não são realmente pessoas,
percebe?
dissolvem-se
em nevoeiro marítimo
antes do amanhecer:

meu demônio-meridiano
é uma mulher de corpo ampulheta
[um duplo]
e honestamente,
não sei bem o que fazer
                        com tantas curvas.

a mim, sempre agradou o sul
para onde escorregam
                  [salvos do abate]
todos os novilhos brancos
e também os pardos;

a verdade é que
um pacto
com o trópico de antes
me mantém
ainda por aqui,
entre os comensais.

mas tenho brotado
oceanos
[como uma boa menina
- em segredo]

para fugas eventuais.

Um comentário:

Comentam por aí...