Desencaixotando Rita

Desencaixotando Rita

segunda-feira, 30 de março de 2015

"o primeiro assassinato"

você, o minúsculo ser, 
que deveria ter saído
por onde nunca deveria
ter entrado - 
aquela brecha, aquele
declive de assoalho.
por que não saiu?

de ti, resta apenas
alguma célula
entre o fogão 
e o armário;
algum suave indício
de sua breve existência
de camundongo,
você, com seu robusto
corpinho de roedor
ainda em desenvolvimento,
pelagem cinzenta baixa, 
obrigou-me a alcançar
uma velocidade sórdida
de que não me supunha 
capaz.

de ti resta
o pequeno corpo
terminando de respirar
            na calçada,
em mim - o golpe.
por que não saiu
quando teve chance,
pequeno estafermo?
sonoros equívocos
te custaram tanto - o pouco
                           que tinhas.
permanecem em mim 
                      o golpe,
os azulejos quebrados,
                  meteoritos
no chão do quarto:
provas irrefutáveis
               do crime.

2 comentários:

Comentam por aí...