Desencaixotando Rita

Desencaixotando Rita

segunda-feira, 30 de março de 2015

"dos rumores que se instalam"

     não posso dizer que
  ignoro com seriedade
a consciência do medo
                nas gengivas
e a eletricidade que alimenta
o corpo venoso brutal
da vergonha porcamente
equilibrada nos joelhos.
          como é possível
que a despeito de tudo
         as gentes sejam?
que sejam com pavor,
e dentes caninos a mostra,
                 mas que sejam.
a mim, é impossível
deslizar com graça
por essa existência
de pequenos naufrágios
de impossibilidades rotundas
de quebra-mares.
ouço um fino assovio
              que assegura
o cativeiro de muitas feras
nos porões deste navio
        e sei dos rumores
instalados, pesando sobre
grossas cordas e velas içadas:
o coração batendo vivo
no fundo desta caixa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentam por aí...